quarta-feira, maio 27, 2015

Púlpito não é lugar de palhaço

Por Renato Vargens

Púlpito é coisa séria, no entanto, tem gente que acha que não, até porque, transformaram o lugar aonde a Palavra de Deus deveria ser pregada num picadeiro de circo.

Lamentavelmente nos dias de hoje, percebemos em boa parte das nossas igrejas um número significativo de pastores que em vez de pregar a santa Palavra de Deus, transformaram-se em exímios palhaços circenses. Nessa perspectiva contam piadas, pulam, dançam, fazem caretas, caras e bocas e muito mais.

Pois é, ao contrário daqueles que acreditam na imbecilização da fé eu creio que  a função do pregador não é divertir o povo e sim pregar a Palavra de Deus. Ora, o pastor foi chamado pelo Senhor para anunciar TODO Conselho de Deus e não fazer do púlpito, um teatro, uma arena ou um circo.

Bem sei que alguns discordam do texto taxando-me de radical, fundamentalista e conservador, todavia as Escrituras me fazem crer  que pastores não foram chamados  por Deus para fazer o povo rir como se num auditório estivessem e sim anunciar as Boas Novas de Salvação Eterna. Por favor, pare, pense e responda: Em que lugar na Bíblia encontramos Paulo, Pedro ou alguns dos apóstolos fazendo "Stand up gospel"?  Ou em que parte dos Evangelhos vemos Jesus pregando os valores do reino como se um palhaço fosse?

Vale a pena ressaltar que não condeno o pregador quando em meio a um sermão conta um relato jocoso, isso é absolutamente compreensível. O que condeno são aqueles que abandonaram as Escrituras em detrimento do riso e do entretenimento fazendo deste estilo de mensagem um método de pregação onde o que importa no final de tudo é a satisfação do cliente.

Para terminar esta breve reflexão, tomo emprestado as palavras do pastor Antônio Silva que diz:  

"Estamos vivendo tempos muito estranhos! Pregadores do estilo "stand-by gospel" são considerados heróis. Cantores popstars são os verdadeiros adoradores, mesmo que só "adorem" por muitos, muitos milhares de reais."

Que Deus tenha misericórdia de cada um de nós!

"Não procuro outros meios para a conversão do homem, além da simples pregação do Evangelho." Charles Spurgeon

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens
Claudio Fagundes disse...

Há muito que venho combatendo isto...até entendo que existem pessoas que são naturalmente divertidas mas que não passam do limite. Uma ótima forma de saber se o tal pregador passa dos limites na sessão palhaçada é você perguntar: Conhece o pregador Fulano de Tal? Se a resposta for aquele que todo mundo morre de rir antes de aquele é uma bênção, este é o tal que ilustra esta matéria...

Juliana Correia de Souza disse...

E o mais triste de tudo isso; é que quando falamos sobre isso em nossas reuniões, nós é que estamos errados; porque estamos falando contra "os ungidos do Senhor "!
Essecente texto pastor!

Vera Braz disse...

Reforma agora!
Sola Scripturas.

Silas Alves Barro disse...

Muito interessante sua crítica, pena que não tem base nenhuma, visto que, seres humanos como nós, não são nada, sendo pastores com vasto "conhecimento da palavra" ou um "simples irmãozinho", sua opnião além de desnecessária causa contenda e discórdia entre o corpo de cristo. Agora falado sobre sua crítica, você já parou para pensar que, Jesus cuspiu na areia, fez lodo e botou nos olhos do cego para que este fosse curado? Você acha que isso era realmente necessário? Que Jesus não tinha poder para que o cego fosse curado apenas com sua palavra? Naquele tempo Jesus usou o lodo para curar mesmo isso sendo um "desrespeito" a algo que era santo a cura dívida, hoje os pastores usam o bom humor como "lodo" o problema é que tem cegos como você.

Edileno Costa disse...

So acho que você não deveria condenar a forma que outros pastores encontram de se aproximar de seus fiéis simplesmente por ser algo contrário de como você o faz.
Jesus naquele tempo pegou 12 discípulos para que o acompanhassem aprendessem com ele, eram tempos diferentes tudo era mais rígido, portanto, para aquela época deveria ser pregado aquele tipo de palavra daquela forma; já hoje todos os meios que são buscados para se aproximar dos fiéis, claro, que nem todos mas metodicamente algumas Podem sim ser bem aceitas.
Se Jesus tivesse no tempo de hoje ele escolheria 12 e esses 12 não seriam iguais aos doze daquele tempo mas seria personalidades diferentes e quem sabe de igrejas totalmente diferente; por que o que valeria seria experiência de cada um a forma que cada um usaria para alcançar os pecadores. Você tem a sua forma respeite também a forma dos outros importante é que a palavra está sendo passada e claro de forma correta mas quem faz a forma correta não é você e sim no Espírito Santo. Procura saber também a procedência daqueles que escutam esse tipo de palavra e você saberá se é errada.

David Venacio disse...

As palavras não minhas, mas vou reproduzi-las
Seu nome é Billy Graham, hoje com 98 anos de idade. Billy Graham foi o maior evangelista do século 20, levando o Evangelho de Cristo a aproximadamente 210 milhões de pessoas em todo planeta. Centenas de milhares entregaram-se a Cristo através das grandes cruzadas evangelísticas do irmão Graham, inclusive com transmissões pela rádio, TV e internet. Crianças, jovens, pais e mães de família, pobres e ricos tiveram um encontro com Cristo enquanto o irmão Graham lhes declarava o maravilhoso plano de salvação. E sabe o que é curioso?
• Graham nunca precisou se vestir de super-herói dos filmes, seriados ou desenhos animados para atrair as multidões
• Graham nunca precisou rapar metade do cabelo e pintar a outra metade de rosa com violeta para atrair as multidões
• Graham nunca precisou encher seu corpo de tatuagem, nem usar calças jeans rasgadas, nem usar piercing no nariz para atrair as multidões
• Graham nunca precisou dançar o “passinho do abençoado” para atrair as multidões
• Graham nunca precisou abrir uma boate gospel, com cerveja gospel, ao som do batidão gospel, para atrair as multidões
• Graham nunca precisou comparecer a programas de humor na TV para contar algumas piadas de crente para ganhar as multidões
• Graham nunca precisou fazer piada com os pentecostais, simulando línguas estranhas, para atrair as multidões
• Graham nunca precisou apelar para linguagem de baixo calão a fim de ser fazer entender pelas multidões
Tudo o que Graham precisou foi de:
1. um batalhão de intercessores que oravam com ele e por ele antes, durante e depois que ele pregava
2. músicos santos que tocavam e cantavam músicas evangelísticas, verdadeiros clássicos, que falavam de Cristo Salvador
3. uma Bíblia, que Graham sempre mantinha bem diante de seus olhos ou em sua mão.
Auditórios lotaram e tremeram ao som da exposição do santo Evangelho de Jesus Cristo por este reverente evangelista, que foi sempre bem humorado, mas não irreverente nem engraçado.
Tem certeza que é necessário assumir a figura do palhaço, do humorista ou do “crente descolado” para atrair as multidões para Cristo? Tem certeza que os santos apóstolos e mártires aprovariam esta onda moderna de pregadores, cantores e evangelistas “descolados”? Tem certeza que tanto sangue de cristãos foi derramado ao longo dos séculos para que chegássemos a isso?! Tem certeza que tudo isso não passa de um fraco paliativo para aqueles que estão em busca de diversão, embora necessitem urgentemente de salvação e santificação?
Com Billy Graham aprendemos que PECADO, e não mau humor, é o grande problema da humanidade.

Texto por Tiago Rosas

mauro disse...

Eu acho que pulpito não é lugar para um monte de homens ficarem sentados altar é lugar de adoração...parece puleiro

NUTRINDO VIDAS disse...

Muito verdadeiro!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only